[one_half]

Capítulo 12

DEUS LEVANTA LUTERO

Corria o ano 1517. A efervescência política e religiosa estava aumentando contra o poderio dos papas e suas ligações com os imperadores. Alguns movimentos de reforma estavam surgindo por toda a Europa, porém muitos estavam sendo sufocados através da “Santa Inquisição”, um tribunal católico estabelecido pelo papa Gregório IX, entre os anos 1231 a 1235, decidido a “varrer do mapa” todo e qualquer levante contra a autoridade católico romana.

Alguns pequenos grupos cristãos e seus líderes sofriam os mais diferentes tipos de tortura, como Jan Hus na Tchecosolováquia e Savonarola na Itála, que haviam sido queimado vivos. É dito que, quando Hus estava amarrado às lenhas, este exclamou: “Agora vocês estão queimando um ganso (significado de seu nome), mas daqui a cem anos Deus levantará um cisne (referindo-se a Lutero) que vocês não poderão queimar”. A profecia cumpriu-se.

Martinho Lutero (Martin Luther) foi um monge da ordem dos agostinianos que tinha um sincero desejo de agradar a Deus e encontrar a verdade. Submetido às rígidas regras monásticas da época, muitas vezes chicoteava-se com o látego e usava um cinturão com cravos internos para afastar os pecados da carne. Mas nada disto lhe trazia a paz que tanto buscava. Estava começando a compreender que não é por obras ou méritos pessoais que se alcança a salvação em Cristo. Certo dia, enquanto estudava no mosteiro, chamou-lhe a atenção uma velha Bíblia acorrentada escrita em latim. Na época, a Palavra de Deus estava longe do povo e somente o alto clero tinha acesso a ela. Enquanto a folhava com interesse, seus olhos caíram no importante texto de Romanos 1.17: “…visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: o justo viverá por fé”. Foi naquele momento tão especial que o Espírito Santo revelou a Lutero as riquezas da graça de Cristo e que ele deveria apoderar-se desta graça somente pela fé. Como ele disse mais tarde: “foi como se as portas do paraíso se tivessem aberto diante de mim”.

A partir daquele encontro com Cristo, Lutero não pôde mais ficar calado e passou a pregar, a quem quisesse ouvi-lo, que a salvação é um dom de Deus e que ninguém pode alcançá-la se não por toda sua confiança nos méritos de Cristo adquiridos na cruz.

Estava começando uma nova era para a Igreja de Cristo. Cheio de coragem e desafiando papas e cardeais, Lutero elaborou suas famosas 95 teses e as fixou nas portas da catedral da cidade de Wittenberg para que o povo as pudesse ler. Estas teses são até hoje uma proclamação clara do evangelho, salientando as importantes verdades da nossa justificação pela fé em Cristo, perdão de pecados oferecido gratuitamente por Cristo, arrependimento de obras mortas, a autoridade da Escritura e tantas outras verdades fundamentais. Era o dia 31 de Outubro de 1517, até hoje comemorado por muitas igrejas evangélicas como o grande dia da Reforma. Mais tarde, Lutero dedicou-se a traduzir a Bíblia inteira para a língua alemã, obra que trouxe tremendos benefícios a toda uma nação e que ainda hoje é usada. Quando teve de comparecer perante um tribunal eclesiástico para negar tudo o que havia escrito, corajosamene ele disse: “Esta é a minha posição. Que Deus me ajude”.

Devido à importância da revolução espiritual que começou nesta data e seus reflexos pelo mundo inteiro, Lutero tem sido considerado, por muitos historiadores, a terceira personalidade mais importante do milênio passado, antecedido apenas por Johann Guttenberg (inventor da imprensa) e o grande físico Isaac Newton.


Tags:

[/one_half]

Confira Também

Agenda 2016

Entre em Contato

Nos reunimos todos os domingos, 18 horas na rua Mali, 255, Vila Ipiranga, Porto Alegre.

E-mail: secretaria@igrejaempoa.com.br ou igrejapoasecretaria@gmail.com

Telefones:

3398-3285

3398-3284