[one_half]

Entrevista com João Nelson Otto

Como foi sua infância e como conheceu Jesus?

Nasci na cidade de Caçador, Santa Catarina, em junho de 1952. Meu pai era pastor Metodista, colega, na época, dos queridos Moisés e Erasmo. Nasci num lar cristão, mas não tinha uma experiência pessoal com Cristo. Morei nas cidades de Alegrete, Passo Fundo. Depois fui morar em São Paulo e retornei para Porto Alegre. Meu pai, sendo pastor Metodista, tinha um ministério itinerante, ficava alguns anos em cada cidade. Em Porto Alegre, cursei a Unisinos para fazer jornalismo e seminário Metodista, mas não para ser pastor.

O Erasmo era diretor e professor do seminário; o Moysés também era professor. Era a década de 70, em pleno avivamento carismático. No seminário, um dos professores, Robert Cury, missionário americano, levou-me a Cristo. Foi em 10 de outubro de 1976, numa quarta-feira de manhã; eu tinha 24 anos.Tive uma experiência com Aquele amado Senhor que eu só conhecia de ouvir falar; agora meus olhos o viam. Foi e continua sendo uma experiência radical e transformadora. Nunca mais fui o mesmo. Sou uma nova criatura em Cristo Jesus. A Ele toda honra, glória e louvor. Alguns dias depois fui batizado no Espírito Santo e nas águas.

Como sucedeu seu chamado ministerial?

No mesmo dia que me converti a Jesus, o Senhor disse-me que eu iria ser um pastor. Ao chegar em casa, vindo aquele dia do seminário, disse estas coisas para o meu pai. A minha vó, Angélica Otto, já tinha profetizado que eu seria pastor quando ainda eu era uma criança. Aconteceu que o seminário fechou neste tempo devido aos efeitos santos e impactantes do avivamento. Fui para São Paulo terminar meu curso de teologia, mas agora convertido. Ao concluir a faculdade de teologia da igreja Metodista, fui pastorear uma congregação Metodista na cidade de Quarai, Rio Grande do Sul, onde nasceram o Mateus e a Rute.

Depois de três anos neste pastoreio entre os metodistas, o Senhor deu-me umas dez direções, profecias e visões para eu e minha amada Sirlei sairmos da Metodista, voltarmos para Porto Alegre e congregarmos com os irmãos no meio que eu tinha me convertido. Neste tempo o João Marcos nasceu, nosso caçula. Chegando a Porto Alegre, trabalhei tanto no trabalho secular como na vida da igreja. Depois de algum tempo, certa vez o querido Moisés profetizou que o Rogério e eu seríamos constituídos presbíteros; isto se tornou realidade no ano de 1984. Mais tarde também, junto com outros irmãos, o Senhor acrescentou o apostolado.

O que deseja dizer à amada igreja de Cristo após tantos anos de serviço?

Como eu me encontrei com o Senhor Jesus no meio do movimento de renovação carismática e aquelas experiências radicais com Cristo, sua salvação, Senhorio, batismo no Espírito Santo marcaram minha vida, é minha oração que o mesmo avivamento, o despertamento espiritual continue a restaurar e impactar sua igreja hoje. O avivamento tem que ser contínuo e crescente. Como houve a glória de Deus no passado, hoje, penso que a glória do Senhor quer se manifestar mais e mais, porque ele há de arrebatar sua igreja gloriosa, da qual tu e eu fazemos parte. E este fogo pentecostal é para levar a igreja a cumprir o propósito eterno de Deus Pai e levar o mundo a crer em Cristo que breve virá.


[/one_half]

Agenda 2017

Entre em Contato

Nos reunimos todos os domingos, 18 horas na rua Mali, 255, Vila Ipiranga, Porto Alegre.

E-mail: secretaria@igrejaempoa.com.br ou igrejapoasecretaria@gmail.com

Telefones:

3398-3285

3398-3284