[one_half]

Uma oração que é um chamado

Jesus orou pela unidade de Seus discípulos, não é assim?

Lemos em João 17.11: “guarda-os em teu nome, que me deste, para que eles sejam um, como nós”.

Bastaria sabermos que Ele assim tanto desejou a unidade dos que são dEle, transformando esse desejo numa oração tão veemente, para que colocássemos a unidade, e nosso empenho por ela, acima de todos os nossos desacordos, de todas as nossas diferenças históricas, de todas as nossas simpatias, preconceitos, formas de adoração, etc. É ou não é?

Mas não é assim que têm vivido os cristãos até agora. Ainda não somos a resposta viva e completa à oração de Jesus! Os próprios discípulos por quem ele orou mais diretamente lá em Jerusalém, na noite de Seu aprisionamento, para morrer por eles – e por nós – não estavam prontos para responderem positivamente àquela oração cheia de amor. Por quê?

1. Porque lutavam por posição – se perguntavam quem era o maior, quem seria o primeiro entre eles… e nós?
2. Porque mantinham ressentimento contra certos grupos. Nem pensavam em ir aos samaritanos. Até sugeriram a Jesus mandar fogo do céu sobre uma aldeia samaritana! Jesus lhes disse que eles nem sabiam de que espírito eram… e nós?
3. Eram orgulhosos em sua autojustiça. Um deles, líder, Simão Pedro, chegou a dizer que era melhor do que os outros, porque, se todos abandonassem a Jesus, ele não o abandonaria…e nós?
4. Eram muito medrosos. Estavam a portas fechadas, com medo dos judeus, no próprio glorioso dia da ressurreição…e nós?
5. Pensavam muito no seu sucesso, perguntando a Jesus: “Senhor, é agora, porventura, que estabeleces o reino a Israel?” (Atos 1.6)… e nós

E agora, passadas tantas gerações de discípulos, estamos melhor, quanto a isto? Tenho convivido com líderes cristãos em vários níveis, em muitos lugares e também aqui em nossa cidade, e fico surpreso e tocado de arrependimento quanto às nossas divisões e separações! Há ainda muitos que só vêem o que está diante de seus olhos, aquilo que estão fazendo, sem nenhum interesse pelos irmãos “separados”. Esquecem por completo a palavra apostólica: “Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros” (Filipenses 2.4).

Mas, graças a Deus, as coisas vão mudar, pois Jesus, no Seu retorno, encontrará uma igreja em plena unidade. De fato, as coisas estão mudando rapidamente à medida que se aproxima a volta de Jesus, nosso Rei. Aleluia!

Homens com liderança de natureza apostólica, profetas e mestres estão chamando os pastores e seus rebanhos à oração, ao testemunho, à Palavra. O resultado, em escala mundial, nacional e local é a aproximação e convivência amorosa dos líderes. Começamos a aprender, de modo prático, o que é a Igreja, o Corpo de Cristo. Ele é o cabeça e todos nós membros do Seu Corpo – o único corpo!

É nosso privilégio ver hoje o Espírito Santo a mover os líderes uns para perto dos outros, atentando para a palavra apostólica: “…amai-vos, de coração, uns aos outros, ardentemente” (1 Pedro 1.22). Não basta, pois, apenas tolerância e alguma abertura. O Corpo viverá em plena unidade quando os discípulos se amarem “ardentemente” e “de coração”. Esse dia está chegando e será um dia glorioso, a fazer parte da glória de Jesus. Ele colocou um padrão elevado: “Como nós” (Isto significa que a unidade dEle com o Pai é o modelo da unidade que Ele deseja entre os seus discípulos). Somos incapazes de realizar tal unidade. Trata-se de uma unidade muito elevada.

Mas o Espírito Santo é suficiente para realizá-la. Nossa atitude e nossa oração poderão ser nossa resposta à oração de nosso Rei e Senhor! Aqui mesmo em nossa cidade há grupos de pastores que estão pondo de lado antigas diferenças e desejos pessoais, e, em oração e comunhão, buscam juntos a glória de Deus em unidade; isto também é sinal da pronta volta de Cristo e de um despertar de amor que trará grande alegria ao coração de nosso amado Pai celestial!

Leia: João 13.34; Romanos 14.13; 15.7; 1 Coríntios 12.25; 13.1-13; 2 Coríntios 16.20; Gálatas 5.13,26; 6.2; Efésios 4.32; 5.18,19,21; Colossenses 3.9,13,16; 1 Tessalonicenses 5.11; Hebreus 3.13; Tiago 4.11; 5.9,16; 1 Pedro 4.9.


[/one_half]

Confira Também

Agenda 2016

Entre em Contato

Nos reunimos todos os domingos, 18 horas na rua Mali, 255, Vila Ipiranga, Porto Alegre.

E-mail: secretaria@igrejaempoa.com.br ou igrejapoasecretaria@gmail.com

Telefones:

3398-3285

3398-3284