[one_half]

Posts Tagged ‘Cristianismo’

Ministração de Moysés Moraes do dia 18 de Outubro

A VIDA CRISTÃ PIEDOSA

 Como um elevado padrão de vida espiritual de cada membro do Corpo e, especialmente, dos que exercem ministério especial: 

 

 

  • Completo desprendimento do mundo, suas práticas e fascinações, para o exercício de uma vida de santidade: 1Co 6:12; 10:23; Gl 1:3-5; 1 Ts 4: 1-7; Hb 12:14
  • Vida de oração, com tempo e atenção à intimidade com Deus, à intercessão, especialmente com a esposa e filhos: At 2:42; 12:5; Rm 1:9, 10;  1Ts 5:17, 18
  • Vida carismática, isto é, ungida pelo Espírito Santo, com vitória sobre o diabo e suas obras: 1 Co 14:1; Ef 6:11-20

Capítulo 17

Os anos finais do século XX foram marcados por distintos avivamentos na América do Norte e do Sul. Diversas manifestações do Espírito Santo trouxeram expressivas mudanças na vida da Igreja, em distintos lugares. Era o vinho novo que vinha em odres novos para o revigoramento da fé cristã em muitos corações. Dois grandes movimentos carismáticos surgiram nos Estados Unidos. O primeiro foi a “Chuva Serôdia”, movimento que conseguiu ter um sucesso em muitos meios cristãos, sem se tornar uma denominação. O outro mover foi o “Movimento Carismático”, que surgiu espontaneamente dentro de muitas denominações evangélicas, sem cogitar delas sair. O mover do Espírito chegou, até mesmo, à Igreja Católica Romana, em especial entre os jovens.

Capítulo 16

FOGO DO AVIVAMENTO DE 1906 SE ESPALHA

Quando o fogo do Espírito Santo se acende ele se irradia em diferentes direções. Assim correu a chama que aqueceu os corações dos crentes que se reuniam na rua Azusa, em Los Angeles, USA. Os frutos desse avivamento de 1906 apareceram em diferentes lugares. Muitas congregações independentes se formaram e algumas denominações foram atingidas, como ocorreu com a Aliança Cristã e Missionária, fundada pelo pastor A.B.Simpson. Grupo que se avivou grandemente. Entretanto, nesse grupo alguns dos seus membros não aceitaram o falar em línguas como evidência do batismo no Espírito Santo. Para não haver uma divisão dentro da Aliança foi publicado um manifesto renunciando esse fato. Entretanto a Aliança perdeu muitos de seus proeminentes membros e, em algumas cidades, congregações inteiras.

Capítulo 15

O Espírito Santo sempre acompanhou, acompanha e acompanhará todas as expressões da vida e das ações da Igreja Cristã, em toda a sua história. Sem o Espírito Santo ela já estaria falida. Nos dias finais do século XIX, o Espírito se manifestou de uma forma excepcional, dando origem ao denominado “Movimento Pentecostal”. Ele foi a resposta de Deus às orações de cristãos espiritualmente famintos, nos dias finais do século XIX. Esse mover do Espírito Santo, que deu origem e fixou no mundo o Movimento Pentecostal, tal como é conhecido hoje, ocorreu na cidade de Los Angeles, em 1906.

Capítulo 14

OS PIONEIROS DO MOVIMENTO MISSIONÁRIO CRISTÃO

Desde os dias apostólicos, os discípulos de Jesus procuraram cumprir o mandamento recebido do Senhor da Igreja: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” (Mateus 28.19). Assim, desde cedo, o cristianismo foi levado, de diferentes formas e por distintas pessoas, a muitos lugares do mundo. Foi pela decisão de ir mais além que o paganismo do império romano deu lugar ao cristianismo na Europa. Depois do século X o espírito missionário enfraqueceu, mas não deixou de existir. Um monge, Francisco Xavier, liderou um movimento missionário, nascido dentro da igreja romana, que cristianizou muitos lugares do mundo pagão. Quando a Reforma Protestante surgiu, inicialmente ela se preocupou mais em purificar e reorganizar a igreja do que expandir a fé.

Capítulo 13

A EXPANSÃO DA REFORMA PROTESTANTE

A reforma iniciada por Lutero, com suas 95 teses afixadas nas portas da catedral de Wittenberg (Alemanha), se propagou pela Europa. Deus levantou líderes em diferentes países. Citaremos três que tiveram maior destaque:

Ulrico Zwinglio – Ele era cura de uma abadia em um centro de peregrinações da Igreja Romana, em Zurique (Suíça). Homem com ideias avançadas pregava contra as romarias que ali eram feitas, dizendo que tais exercícios religiosos não proporcionavam a salvação eterna. Nomeado vigário da cidade de Zurique, demonstrou ter ideias reformadoras para a Igreja. Sua autoridade sobre a cidade tornou-se muito forte e, quando o delegado papal chegou a Zurique vendendo indulgências (perdão dos pecados em troca de dinheiro), ele conseguiu que o governo local expulsasse o enviado papal.

Capítulo 12

DEUS LEVANTA LUTERO

Corria o ano 1517. A efervescência política e religiosa estava aumentando contra o poderio dos papas e suas ligações com os imperadores. Alguns movimentos de reforma estavam surgindo por toda a Europa, porém muitos estavam sendo sufocados através da “Santa Inquisição”, um tribunal católico estabelecido pelo papa Gregório IX, entre os anos 1231 a 1235, decidido a “varrer do mapa” todo e qualquer levante contra a autoridade católico romana.

Alguns pequenos grupos cristãos e seus líderes sofriam os mais diferentes tipos de tortura, como Jan Hus na Tchecosolováquia e Savonarola na Itála, que haviam sido queimado vivos. É dito que, quando Hus estava amarrado às lenhas, este exclamou: “Agora vocês estão queimando um ganso (significado de seu nome), mas daqui a cem anos Deus levantará um cisne (referindo-se a Lutero) que vocês não poderão queimar”. A profecia cumpriu-se.

Capítulo 11

A RENASCENÇA E A REFORMA PROTESTANTE

O final da Idade Média foi marcado pelo surgir, na Itália, de um movimento cultural denominado: “A Renascença”. Era o despertar na Europa de um novo interesse pela literatura, pelas diferentes formas de arte e pela restauração da cultura grega e latina. Esse movimento buscava a modernidade cultural e, ao mesmo tempo, apagar a cultura medieval dominada pela religião. A nova cultura se espalhou pela Europa e se desvinculou das influências da religião; buscou algo novo, diferente, cético e investigador. Era o nascer das ciências modernas. Até mesmo os papas romanos voltaram-se mais para a modernidade do que para a religião.

Capítulo 10

OS PRIMEIROS MOVIMENTOS DA REFORMA

Destacamos os principais movimentos reformadores: os Albigenses ou cátaros (nome vindo da palavra catharu = “puritanos”). Surgiu no sul da França, cerca do ano 1170. Esses crentes distribuíam o Novo Testamento para o povo ler livremente (o que era proibido aos leigos pela igreja), e pregavam o evangelho puro. Eles não aceitavam as doutrinas do purgatório, a adoração de imagens, a salvação pelas obras e as pretensões sacerdotais. Eles não aceitavam o Antigo Testamento. O papa Inocêncio III, em 1208, mobilizou uma cruzada contra eles e foram exterminados.

Capítulo 9

A IGREJA NO PERÍODO QUE PRECEDE A REFORMA

No IV século da Era Cristã, diante dos desmandos da vida social e religiosa de grande parte da população e, em especial, da cúpula dirigente da Igreja [a vida dos Papas era extremamente mundana], surgiu em muitos religiosos o desejo de terem uma vida espiritual mais autêntica, mais pura e piedosa. Não encontrando o que aspiravam na Igreja que perdera a sua autenticidade, nem nas comunidades em que viviam, buscaram na vida de solidão, de oração e jejum, o que as suas almas ansiavam. Assim, afastando-se para lugares desertos, isolados do mundo, passaram a viver como eremitas. Dessa busca de solidão surgiu o que foi denominado “movimento monástico”. Entre os muitos monges que viveram em recolhimento, Santo Antão se destacou pela sua vida de devoção a Deus e de santidade.

[/one_half]

Agenda 2017

Entre em Contato

Nos reunimos todos os domingos, 18 horas na rua Mali, 255, Vila Ipiranga, Porto Alegre.

E-mail: secretaria@igrejaempoa.com.br ou igrejapoasecretaria@gmail.com

Telefones:

3398-3285

3398-3284